Quedas nos idosos

De acordo com pesquisas recentes, 70% (setenta por cento) das quedas dos idosos ocorrem em casa, ou seja, é dentro de casa que devemos tomar o máximo de cuidados possíveis com as quedas. Outro dado que surpreende é que 35% (trinta e cinco por cento) dos idosos entre 75 (setenta e cinco) e 84 (oitenta […]

Artigo escrito por Estética Brasil

De acordo com pesquisas recentes, 70% (setenta por cento) das quedas dos idosos ocorrem em casa, ou seja, é dentro de casa que devemos tomar o máximo de cuidados possíveis com as quedas.

Outro dado que surpreende é que 35% (trinta e cinco por cento) dos idosos entre 75 (setenta e cinco) e 84 (oitenta e quatro) anos sofreram algum tipo de queda com graves conseqüências no ano de 2007.

Na terceira idade, a freqüência de queda é mais comum em mulheres do que em homens.

As quedas podem ter duas causas: a acidental ou a queda por baixa pressão arterial. Uma queda por baixa pressão arterial ocorre quando se levanta muito rápido ou quando se abaixa rapidamente também. A acidental está intimamente relacionada com a estabilidade corporal, que depende de fatores do indivíduo e do ambiente no qual ele está inserido.

A estabilidade corporal depende de vários fatores, como:

  • Capacidade de cálculo;
  • Capacidade de decisão;
  • Capacidade de planejamento;
  • Orientação têmporo-espacial;
  • Memória;
  • Integrativos centrais e musuloesqueléticos;
  • Ambiente favorável;

Um idoso deve estar sempre em alerta para um possível deslize e deve conservar seu ambiente de forma que ele não seja favorável a uma queda.

Cuidados com o ambiente:

  • Possuir iluminação adequada;
  • Não possuir superfícies escorregadias ou molhadas;
  • Não prover degraus estreitos ou altos;
  • Eliminar do local: tapetes e outros objetos como fios, móveis baixos, dentre outros;

Prevenir uma queda é a melhor forma de tratá-la. A freqüência de quedas em idosos é tão grave que é tido por alguns como um “problema de saúde pública”. Na idade avançada, é muito difícil o osso “colar”, por isso, na maioria das vezes, é necessário uma cirurgia para a reconstituição correta das partes fraturadas.

Nenhum comentário ainda.

Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

*