O Sódio na nutrição

O Sódio foi isolado pela primeira vez em 1807, pelo químico Humphry Davy. É um metal alcalino que, na temperatura ambiente, é sólido e de coloração branca (meio prateada). Conhecemos os sódio pelo famoso nome: sal de cozinha, de fórmula química NaCl. Mas o NaCl é somente um composto de vários outros que o sódio […]

Artigo escrito por Estética Brasil

O Sódio foi isolado pela primeira vez em 1807, pelo químico Humphry Davy. É um metal alcalino que, na temperatura ambiente, é sólido e de coloração branca (meio prateada). Conhecemos os sódio pelo famoso nome: sal de cozinha, de fórmula química NaCl. Mas o NaCl é somente um composto de vários outros que o sódio pode ter.

Sob a forma ionizada é um dos principais elementos que compõem os fluidos intercelulares, do plasma e a regulação osmótica sanguínea. Também possui papel fundamental na “bomba de sódio” (que é uma enzima que se localiza na membrana plasmática de quase todas as células corpóreas).

Sinais de deficiência:

  • Depressão;
  • Anorexia;
  • Dores de cabeça;
  • Tonturas;
  • Dificuldade de memorização;
  • Fraqueza muscular;
  • Náuseas;
  • Perda de peso;
  • Convulsões;

Sinais de excesso:

  • Disfunção renal;
  • Cefaléia;
  • Hiperatividade;
  • Hipertensão;
  • Tremor;
  • Ganho de peso;
  • Parada respiratória;
  • Eritemia (manchas vermelhas) na pele;

Necessidade diária:

Para crianças e adolescentes:

  • 1 (um) ano: 225 mg/dia;
  • 2 (dois) a 5 (cinco) anos: de 290 a 310 mg/dia;
  • 6 (seis) a 11 (onze) anos: 400 mg/dia;
  • de 12 (doze) anos em diante: 500mg/dia;

Para adultos:

  • 500 mg/dia;

Para lactantes:

  • de 0 (zero) a 6 (seis) meses: 120 mg/dia;
  • 7 (sete) a 11 (onze) meses: 200 mg/dia;

Principais fontes alimentares:

  • Sal de cozinha;
  • Refrigerantes em geral (principalmente Soda);
  • Glutamato monossódico: presente nas proteínas animais e vegetais;
  • Batata inglesa, feijão, ovos;
  • Lentilha seca, cenoura, abacate, leite de vaca;
  • Alface, brócolis, repolho, berinjela, dentre outros.

O consumo excessivo de sal, de acordo com pesquisas recentes, está diretamente relacionado com a maior chance de se ter pressão alta e conseqüentemente sofrer algum ataque do coração, infarto, derrame ou algumas disfunções renais. Por isso é sempre bom ficar atento e diminuir o consumo de sal.

Nenhum comentário ainda.

Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

*