Estresse e o trabalho

Depois de pesquisas recentes, que dizem que o estresse atinge 70% (setenta por cento) dos trabalhadores brasileiros (uma delas realizada pela Isma – International Stress Management Association), é preciso perguntar: “será que o trabalhador brasileiro tem condições de realizar as tarefas que lhe são passadas, e será que o seu trabalho lhe proporciona condições favoráveis […]

Artigo escrito por Estética Brasil

Depois de pesquisas recentes, que dizem que o estresse atinge 70% (setenta por cento) dos trabalhadores brasileiros (uma delas realizada pela Isma – International Stress Management Association), é preciso perguntar: “será que o trabalhador brasileiro tem condições de realizar as tarefas que lhe são passadas, e será que o seu trabalho lhe proporciona condições favoráveis de trabalho“?

Antes vamos trabalhar com dados: esse índice, de 70% (setenta por cento), é semelhante ao índice dos Estados Unidos e da Inglaterra. Ou seja, não é só aqui que esses dados são alarmantes. O estresse está presente no cotidiano da maioria das pessoas empregadas do mundo. Razões para isso? São várias.

Além do estresse do trabalho, que envolve competitividade, obrigação de se aprender sempre mais, de se atualizar, de tentar ser sempre o melhor, de sofrer pressão de superiores ou de instituições maiores, de possuir enorme responsabilidade, dentre outros, o empregado também convive com o estresse de sua vida social. Estresse esse que envolve segurança (própria e da família), as exigências culturais e sociais, a própria manutenção familiar, entre outros.

Tudo isso é somado, e a carga que uma pessoa pode aguentar, é excedida em vários multiplicadores.

Sintomas do Estresse:

Físicos:

  • Indigestão;
  • Dores de cabeça;
  • Alergias;
  • insônia;
  • Mudança de apetite;
  • Esgotamento físico;
  • Gastrite;
  • Taquicardia;
  • dentre outros.

Psicológicos:

  • Memória fraca;
  • Desmotivação;
  • Autoritarismo;
  • Introspecção;
  • Isolamento;
  • “Tiques Nervosos”
  • dentre outros.

Com os sintomas citados acima, podemos ver que o estresse é bastante prejudicial em uma carreira profissional, e que deve ser tratado com afinco por ambas as partes (empresa e funcionário).

Em uma outra pesquisa, realizada na Grã-Bretanha, diz que os estressados faltam mais ao trabalho. Também diz que o estresse é maior em pessoas que passam mais tempo no mesmo emprego. Tiramos algumas conclusões: o estresse é inimigo do rendimento e consequentemente é maléfico à empresa e ao funcionário.

Pensando assim, empresas modernas estão tentando minimizar esses sintomas, criando um ambiente mais agradável, com técnicas que variam entre relaxamento e até ginástica. Existem outros programas que visam mudanças físicas no ambiente de trabalho, como a criação de uma área de convivência, criação de programas para a convivência, diminuição de divisórias, dentre outros.

O combate ao estresse é essencial, tanto para a empresa quanto para o funcionário. A empresa quer um empregado produtivo sempre. O funcionário quer um ambiente agradável sempre. O lucro e a saúde devem andar juntos.

1 Comentário para 'Estresse e o trabalho':
  1. Luana says:

    Oi, adorei a matéria… gostaria de saber quem a escreveu.
    Obrigada!

    Responder

Deixe seu comentário

*