Calvície ou Alopécia Androgenética

Calvície ou Alopécia Androgenética

O termo médico para designar a famosa ‘calvície’ é alopécia do couro cabeludo, sendo que pesquisadores e cientistas definiram vários tipos dessa manifestação capilar. Quando ocorre em todo corpo é chamada de alopécia universal. Outros tipos de alopécia são: – Traumática: ocorre em acidentes, lesões ou contusões; – Congênita: relacionada a fatores genéticos; – Secundária: […]

Artigo escrito por Estética Brasil

O termo médico para designar a famosa ‘calvície’ é alopécia do couro cabeludo, sendo que pesquisadores e cientistas definiram vários tipos dessa manifestação capilar. Quando ocorre em todo corpo é chamada de alopécia universal.

Outros tipos de alopécia são:

- Traumática: ocorre em acidentes, lesões ou contusões;

- Congênita: relacionada a fatores genéticos;

- Secundária: ocorre após tratamentos médicos (como a quimioterapia), após a ingestão de medicamentos, após doenças e através de distúrbios internos de órgãos;

- Seborréica: relacionada à coceira e escamação do couro cabeludo, na maioria das vezes não comprometendo a quantidade de cabelos;

- Emocional: ligada a fatores emocionais, podendo progredir e se tornar uma alopecia total (do couro cabeludo), chegando até uma alopecia universal;

- Eflúvio: é responsável pela maioria dos casos de queda de cabelo entre as mulheres, sendo conhecido também como deflúvio, ocorrendo pela quebra do ciclo harmonioso capilar;

- Areata: geralmente ocorre em placas no couro cabeludo, podendo evoluir para uma alopecia total;

- Androgenético: é a causa da maioria dos problemas capilares dos homens, mas também ocorre entre as mulheres. É causado pelo relacionamento de diversos fatores genéticos com a testosterona, hormônio masculino, sendo que o responsável pelo link genético é o DiHidroTestosterona (DHT);

No decorrer da vida 96% dos homens apresentarão algum tipo de queda de cabelo em estágios variáveis. Alguns reagem bem, assumindo ou tolerando essa reação capilar. Outros nem tanto, podendo ter problemas emocionais e profissionais, afetando sua qualidade de vida. Por volta dos 30 anos de idade 30% dos homens apresentam a Alopécia Androgenética, sendo que esse número sobe para 50% aos 50 anos.

Quando se apresenta a Alopécia Androgenética alguns homens estarão calvos após cinco anos, enquanto a maioria levará de quinze a vinte e cinco anos para se tornarem totalmente calvos. A incidência da Alopécia Androgenética é maior em quatro vezes na raça branca que na raça negra.

A calvície se instala após a ligação da DHT com os genes existentes relacionados a ela, fazendo com que os fios de cabelo iniciem uma miniaturização de seu tamanho até ficarem muito finos e caírem, irreversivelmente. Essa é a razão pela qual não tem como “reviver” o cabelo perdido.

O padrão de instalação da Alopécia Androgenética segue uma rarefação nas entradas capilares, seguindo para a área central da cabeça, culminando na parte posterior do crânio, que possui o nome de coroa de padre.

Existem algumas classificações tanto para a calvície masculina quanto para a feminina. Veja abaixo o que alguns estudiosos falam sobre o assunto:

A Classificação de Norwood/Hamilton

Classificação de Norwood/Hamilton

Faça sua avaliação.

Além dessa classificação, existem estudos que definem, em sete etapas, a evolução da calvície. São esses estágios:

Estágio 1

Estágio 1 – Normal, sem perda ou perda mínima de cabelo na região fronto-temporal;

Estágio 2

Estágio 2 – Perda capilar mais simétrica, constituindo uma área triangular de recessão;

Estágio 3

Estágio 3 – Rarefações ocorrem nas regiões frontal e fronto-temporal;

Estágio 3 - Vértice

Estágio 3 (Vértice) – Perda capilar ocorre principalmente no vértice;

Estágio 4

Estágio 4 – Rarefações maiores nas regiões frontal e fronto-temporal do que no estágio 3, permanecendo uma faixa pilosa no topo da cabeça;

Estágio 5

Estágio 5 – A perda de cabelos aumenta, fazendo com que a faixa pilosa se torne esparsa e mais estreita;

Estágio 6

Estágio 6 – A faixa pilosa deixa de existir e as duas áreas de perda capilar se unem, tornando-se uma;

Estágio 7

Estágio 7 – Restam cabelos apenas na parte occipital da cabeça;

A Classificação de Ludwig

Classificação de Ludwig

Faça sua avaliação.

15 Comentários para 'Calvície ou Alopécia Androgenética':
  1. daniela dias da costa disse:

    eu tenho alopecia universal a quase um ano e gostaria de saber se tem algum medicamento que acelere o processo de crescimento

    Responder

    Wanderley Reply:

    Tenho Alopecia universal a 19 anos, estou correndo atras até hoje de uma cura.

    Responder

  2. Daniela,

    somente um médico, no caso o dermatologista, é quem pode prescrever medicamentos para o seu problema. Procure-o para que o mesmo faça uma avaliação e você possa se beneficiar da ajuda desse profissional.
    Boa sorte!

    Responder

  3. katia disse:

    Já tive alopercia antes e fui curada, agora depois de quase 5 anos voltou. Será que isso nao tem cura para sempre…
    Estava aplicando injeççao e passando remedio topico, mas desanimei e parei com tudo, agora o local esta vermelho, com coceira e esta afundado um pouco para baixo, com cabelos crescidos só no meio. Será que devo me preocupar.

    Responder

    Estética Brasil Reply:

    Katia, esse problema somente o seu dermatologista pode verificar. Consulte-o pois seu problema também é relacionado a outros fatores pessoais, diferenciando de outra pessoa com o mesmo problema, por exemplo.

    Responder

  4. dayrine disse:

    hum..
    tenho alopecia areata, e to com 25 % do meu cabelo!
    ja ta batendo o despero!
    vou ao medico , e vou começar p tratamento so daqui uns meses, pq la e muito concorrido!
    nao tem nenhuma receita caseira que possa ta evitando as quedas?

    Responder

  5. Lucianne disse:

    Olá! Tenho 27 anos e tenho alopecia a 7 anos.Gostaria de saber se somente com loção e hormônio resolve o problema da alopecia androgenética?Estou fazendo acompanhamento c dermatologista a 4 meses e acho q está sendo insuficiente! Pq não observo muita melhora no couro cabeludo.
    Devo procurar outro profissional?

    Responder

  6. Annah disse:

    Apesar de eu ter um cabelo comprido , e minimamente apresentável e saudável, tem alturas do ano em que ele realmente enfraquece bastante, e fico com bastante medo. Tem alturas em que o meu cabelo não fica bonito, só me apetece amarrá-lo e não fazer mais nada .
    A culpa secalhar é minha né ?
    Apesar de ter um cabelo comprido, liso, os fios são finos e eu uso bastante o secador para lhe dar um volume extra.

    Por vezes não sei mesmo que fazer.
    Meu cabelo é complicado mesmo …

    Responder

  7. juliana disse:

    tenho 21 anos e tenho alopecia..por favor me fale um remedio para melhorar..ja tive uma vez,tratei e passou,agora voltou novamente.estou muito preocupada e desesperada.

    Responder

  8. samanta disse:

    a 2meses atraz descobri que estava com alopercia, gostaria de sabe mais sobre a doença e porque jugal a ser causada por emoçao?

    Responder

  9. Rod disse:

    Bom tenho 20 anos e faz qse uns 2 anos q eu comecei aperceber q meu cabelo tava estranho pq meu cabelo sempre foi liso e eu uso o cabelo um pocu grande entaum percebi q ele estava crescendo mais fraco e fino na parte da frent da cabeça por essa causa procurei o dermatologista DHT alto faz 3 meses q estou tomando propecia e notei muita diferença espero q eu esteja certo qse nem cai mais cabelo raramente cai tem dia q nem cai nossa q diferença agora só qro q ele volte a nascer normalmente espero q volte :D
    pq eu amo meu cabelo

    Responder

  10. Leticia disse:

    Ola, tenho alopecia, parcial, e gostaria de saber se posso usar alguma tintura no cabelo, quimica leve, nada de mais….os cabelos ja ate começaram a crescer, mais queria saber se tem algum cuidade especifico.

    Responder

  11. Denise disse:

    Tenho 48 anos, ainda na adolescência tive uma queda violenta devido uma tinta que usei nos cabelos. Tinha cabelos que dava inveja, desde ai veio a queda, entretanto fiz ainda muitos regimes malucos, não de usar remédios, e sim de ficar sem comer. Desde ai foi fatal, pois não tive na época condições de freqüentar um dermatologista. Hoje tenho condições e não encontro solução, tenho falhas em toda cabeça que ainda consigo disfarçar, meu último exame de sangue deu ferratini baixa, seria isto??? Não sei!! Gostaria muito de uma dica. Grata
    Denise

    Responder

  12. wanessa michelle disse:

    SOU eu tenho alopecia faz tempo ki não dou nenhum tipo de quimica no meu cabelos será ki já estou liberadaa ??

    Responder

  13. Luiz Antonio da Silva disse:

    Tenho alopécia areata a vários anos. Já experimentei quase todos os tipos de tratamentos com pouco sucesso. Na verdade os tratamentos mais prejudicam do que ajudam. Os dermatologistas até que tentam mas está fora do alcance deles. Apesar de leigo acredito ser algo genético ( visto que não é contagioso) pois se manifesta no indivíduo em algum momento da vida .Ainda não há cura, ñem tratamento eficaz.Conheço muitos famosos e milhonários carecas.Só nos resta a esperança que nos próximos anos surja um louis pasteur da alopécia.Ou quem saiba um de nós fazermos medicina e irmos a luta científica.

    Responder

  14. melissa disse:

    Olá,fui ao dermato e atraves de exames de sangue foi diagnosticado alopecia de natureza androgenetica,agora tenho que tomar medicamentos manipulados a base de vitamima E,C e biotina,shampoos e locoes com minoxidil e outros ativos.Agora e usar e aguardar resultados que espero positivos.

    Responder

  15. elaine disse:

    Olá, tenho 29 anos e a 3 anos ,tive meu primeiro filho, Depois da gravidez comecei a ter falhas. E está piorando, Fiz exame de ferratina deu valor 25, exame de hormônios masculinos deram tudo bem. Preciso fazer exames de hormônios femininos? Agora esta dificil de disfarçar a rafareaçâo. Meu pai é calvo. Será que herdei a genética dele?
    Por favor me responda ,estou aflita!

    Responder

Deixe seu comentário

*